Bem-vindos. Neste blogue, têm lugar textos da autoria de membros da comunidade educativa da Escola Secundária de Vilela e apontamentos diversos sobre livros e literatura.

28
Set 11

 

No âmbito do estudo de sonetos de diversos autores, foram compostos, por alunas de Literatura Portuguesa, alguns exemplos dessa forma poética de catorze versos tão trabalhada e revisitada ao longo de várias épocas. Antes de darmos início à publicação desses textos, recordamos hoje um dos sonetos mais célebres da língua lusa, da autoria de Luís de Camões:

 

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,

muda-se o ser, muda-se a confiança;

todo o mundo é composto de mudança,

tomando sempre novas qualidades.

 

Continuamente vemos novidades,

diferentes em tudo da esperança;

do mal ficam as mágoas na lembrança,

e do bem – se algum houve – as saudades.

 

O tempo cobre o chão de verde manto,

que já coberto foi de neve fria,

e enfim converte em choro o doce canto.

 

E, afora este mudar-se cada dia,

outra mudança faz de mor espanto:

que não se muda já como soía.

publicado por escoladeescritores às 09:37

Setembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
22
23
24

25
26
27
29
30


mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

2 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO