Bem-vindos. Neste blogue, têm lugar textos da autoria de membros da comunidade educativa da Escola Secundária de Vilela e apontamentos diversos sobre livros e literatura.

30
Jan 15

 

O protagonista e narrador do conto «O leitor», de Teolinda Gersão, é um maquinista do metro que gostava tanto de livros que até arriscou ler enquanto conduzia o veículo subterrâneo. Nessa narrativa, ele conta-nos um sonho que envolvia, com acentuado simbolismo, o nome de algumas estações em que o metro parava. O sonho, claro, poderia ter sido diferente e ter envolvido os nomes de outras estações. Foi esse o desafio lançado aos alunos do 10.º ano que estudaram o texto de Teolinda Gersão; alguns dos resultados serão aqui publicados a partir da próxima semana, sendo sempre referenciadas as estações que teriam desencadeado o mergulho no mundo onírico por parte do ficcional entusiasta da leitura criado pela escritora portuguesa. Hoje, começamos por dar a conhecer o excerto do conto em que o sonho efectivo da personagem é narrado.

 

(Próxima estação: Jardim Zoológico)

 

Houve uma noite em que sonhei que descia no Jardim Zoológico e abria as jaulas. Deixava uma girafa no Parque e punha o leão a comer as laranjas, debaixo das Laranjeiras. Embora no sonho o facto de o leão comer laranjas me parecesse absurdo.

(…)

 

(Próxima estação: Laranjeiras.)

 

Teolinda Gersão, «O leitor» in Histórias de ver e andar, Lisboa, Dom Quixote, 2002.

publicado por escoladeescritores às 09:20

14
Jan 15

 

Inserimos hoje o diário ficcional elaborado pela Marta Alves, do 8.º VD, dividido em várias entradas, que compõem uma pequena história. Cabe ao leitor reconstruí-la a partir dos elementos expostos. Boa leitura.

 

Diário do que eu penso ser um rapaz de hoje em dia e sobre um dos seus segredos

Marta Alves

 

Quinta-feira, 14 de Fevereiro

As aulas começaram e durante a apresentação conheci uma rapariga linda que este ano pertence à minha turma, de olhos verdes, cabelos castanhos e com a voz mais doce que conheci até hoje. Este ano começou bem.

 

Sexta-feira, 15 de Fevereiro

Ela hoje olhou para mim e eu saltei de alegria, ela está sentada duas mesas à minha frente, ao lado do Diogo, estou constantemente a olhar para ela. Estou definitivamente apaixonado.

 

Sábado, 16 de Fevereiro

Não vejo a Matilde há menos de 24 horas e já estou com saudades. Espero que, se um dia lhe disser que gosto dela, ela não reaja mal.

 

Domingo, 17 de Fevereiro

Estou ansioso por a ver amanhã, ouvir a voz dela, senti-la longe e perto ao mesmo tempo. Sentir-me apaixonado e sentir-me como nunca me senti antes. Sinto um formigueiro na barriga quando estou à beira dela e nunca digo nada de jeito. Estou ansioso e nervoso por amanhã.

 

Segunda-feira, 18 de Fevereiro

Hoje fiquei desiludido pois descobri que ela não me acha bonito e nem imagina que gosto dela. Fiquei desanimado, mas não fiz transparecer isso.

Pensei dizer-lhe, mas percebi que se lhe dissesse os meus colegas acabariam por saber e iam gozar comigo. Espero que um dia ela olhe para mim de maneira diferente. Adeus e até amanhã, diário.

publicado por escoladeescritores às 11:08

Janeiro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
31


subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

2 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO