Bem-vindos. Neste blogue, têm lugar textos da autoria de membros da comunidade educativa da Escola Secundária de Vilela e apontamentos diversos sobre livros e literatura.

04
Nov 10

 

A concluir esta sequência de variações sobre as cantigas de amigo, editamos hoje a composição da Catarina Duarte, do 10.º D, com um refrão adequado ao tempo ainda estival que entre nós se tem feito sentir. Boas leituras.

 

Nem as pedras do caminho

Nem as águas do rio

Sabem segredos meus com meu amigo.

        Amores de Verão depressa vão!

 

Nem as pedras do adro

Nem as águas do lago

Sabem segredos meus com meu amado.

        Amores de verão depressa vão!

 

Se soubesses o que tenho vivido,

Se soubesses o que tenho sofrido,

Jamais um ser queria ter nascido.

        Amores de Verão depressa vão!

 

Se soubesses o que tenho chorado,

Se soubesses o que tenho passado,

Jamais um ser queria' star do nosso lado.

        Amores de Verão depressa vão!

publicado por escoladeescritores às 12:40

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


Novembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
12
13

14
15
16
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO