Bem-vindos. Neste blogue, têm lugar textos da autoria de membros da comunidade educativa da Escola Secundária de Vilela e apontamentos diversos sobre livros e literatura.

27
Jan 10

 

Dando continuidade à nossa série temática dedicada à poesia medieval, editamos hoje a composição lírica da Joana Nunes, do 10.º C.

 

Cantiga de amor

 

Meu amor, minha amada,

até cantei para não sofrer,

derramei lágrimas

para não te perder.

 

Minha dona do meu coração,

prefiro morrer a não te ter;

se me deres o teu perdão,

deixarei de sofrer.

 

Eu vivo esta coitada vida

na esperança de um perdão,

quero a tua alma querida

para a minha salvação.

 

Fico perdido nesta ilusão,

na esperança de te ter,

para que possas reter

o amor do meu coração.

 

És a dona do meu coração,  

já não vivo sem te ver,

és uma ilusão

que eu não quero perder.

publicado por escoladeescritores às 10:35

comentário:
Depois de uma primeira leitura apraz-me afirmar que o teu poema é expressivo: "Ninguém tema afelicidade garantida. A vida simplesmente dá a cada pessoa espaço e tempo. Depende de TI enchê-los de alegria.
Rosa Soares a 29 de Abril de 2010 às 16:46

Janeiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
14
15
16

17
19
20
21
22
23

24
26
28
29
30

31


mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO